Prazo para renegociar dívidas do Simples Nacional é ampliado até 31/03

4 mar, 2022 | Gestão Tributária, Notícias Tributárias | 0 Comentários

A renegociação de dívidas do Simples foi prorrogada para 31 de março, segundo a nota do Comitê Gestor do Simples Nacional. Microempreendedores individuais (MEI) e empresas de micro e pequeno portes podem participar.

Os usuários que aderiram ao sistema de tributação simplificada devem regularizar sua situação com a Receita Federal. As empresas que não realizarem os pagamentos até o prazo de 30 dias concedido pelo governo serão retiradas do regime.

O prazo para inclusão vai até 31 de janeiro de cada ano, não podendo ser alterado por se tratar de uma data fixada pela Lei Complementar n° 123/2006. As empresas retiradas podem voltar ao regime no ano seguinte.

Como renegociar as dívidas do Simples Nacional

Para renegociar as dívidas do Simples Nacional, as empresas devem acessar o site oficial do regime onde poderão ter acesso aos tipos de parcelamentos disponíveis, emitir o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) avulso e outros serviços.

Veja também: RECEITA FEDERAL FAZ ALERTA SOBRE PRAZO DE ADESÃO AO SIMPLES NACIONAL

Receba os conteúdos diretamente em seu celular, envie uma solicitação para nosso WhatsApp clicando aqui.

[Entre no nosso canal no Telegram]

Para entrar em contato conosco e tirar dúvidas, envie um e-mail para: [email protected].

🚀 Reduza os prejuízos e elimine riscos entendendo em definitivo quais retenções incidem nos pagamentos a empresas do Simples Nacional. CONFIRME SUA PRESENÇA CLICANDO AQUI.

Gestão Tributária de Contratos e Convênios AO VIVO e ONLINE!

Garanta sua vaga no treinamento mais desejado na modalidade 100% online e ao vivo, o curso Gestão Tributária de Contratos e Convênios!

Curso Online Gestão Tributária de Contratos e Convênios AO VIVO - Open  Treinamentos e Editora

Publicações recentes

Featured Video Play Icon

A DIRF ainda terá que ser entregue em 2025? Alteração importante!

O adiamento da DIRF 2024 gera diversas implicações. A primeira e mais importante é que esse fato não indica uma flexibilização (…)

Arquivos

Posts relacionados

Seu comentário é bem-vindo!

Adicione seu comentário ou deixe sua pergunta.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *