0800 888 1482 [email protected]

      O QUE DISSE O STF NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO QUE TRATOU DO CEPOM?

      6 dez, 2021 | Gestão Tributária | 0 Comentários

      STF reconhece, através do Recurso Extraordinário que tratou do CEPOM, ser uma violação daquilo que prevê a constituição ao determinar que a lei complementar estabeleça as regras Gerais de apuração desse imposto.

      Olha o que disse o STF nesse recurso extraordinário:

      “É incompatível com a Constituição Federal disposição normativa a prever a obrigatoriedade de cadastro, em órgão da Administração Municipal, de prestadores de serviços não estabelecidos no território do Município impondo-se ao tomador o recolhimento do Imposto sobre Serviços – ISS quando descumprida a obrigação.”

      EXPLICAÇÕES DO SFT SOBRE A INCONSTITUCIONALIDADE DO CEPOM

      O que o STF colocou Recurso Extraordinário que tratou do CEPOM é explicado de maneira muito clara. Se a lei do município impõe a retenção do Imposto por ausência do cadastro de um prestador de fora;

      Primeiro, o princípio da territorialidade da lei municipal está sendo violado e;

      Segundo, a lei municipal está se arvorando em definir o local da incidência do ISS querendo se sobrepor àquilo está previsto em uma lei complementar aprovada pelo congresso nacional. Então, é um absurdo escancarado, difícil de entender porque que o STJ antes dessa decisão do STF chegou em vários momentos a legitimar a adoção desse CPOM em vários municípios mas felizmente isso ficou para trás.

      Veja também: O município pode exigir inscrição do MEI no CEPOM?

      Receba os conteúdos diretamente em seu celular, envie uma solicitação para nosso WhatsApp clicando aqui.

      [Entre no nosso canal no Telegram]

      Para entrar em contato conosco e tirar dúvidas, envie um e-mail para: [email protected].

      🚀 O curso Gestão Tributária de Contratos e Convênios vai dar um up na sua carreira! CONFIRME SUA PRESENÇA CLICANDO AQUI.

      Publicações recentes

      Featured Video Play Icon

      A DIRF ainda terá que ser entregue em 2025? Alteração importante!

      O adiamento da DIRF 2024 gera diversas implicações. A primeira e mais importante é que esse fato não indica uma flexibilização (…)

      Featured Video Play Icon

      IRRF na DCTFWeb: Veja como preencher e enviar o evento R-4020!

      Com o foco no evento R-4020 que diz respeito aos rendimentos pagos ou creditados a pessoas jurídicas, é imprescindível ter uma visão (…)

      Featured Video Play Icon

      2 requisitos que determinam se incide ou não INSS na cessão de mão de obra ou empreitada

      Entender se incide ou não INSS sobre determinadas operações é extremamente relevante no contexto jurídico e tributário brasileiro (…)

      Arquivos

      Posts relacionados

      Seu comentário é bem-vindo!

      Adicione seu comentário ou deixe sua pergunta.

      0 comentários

      Enviar um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *