QUANDO COMEÇA O ESOCIAL E A EFD-REINF PARA AS ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS?

1 nov, 2018 | EFD-Reinf, Comentários | 0 Comentários

No mês de outubro a Resolução CDeS nº 05/2018 e a Instrução Normativa RFB nº 1.842/2018trouxeram modificações no cronograma de exigência do eSocial e da EFD-Reinf, respectivamente, criando certa confusão ao promoverem o desdobramento do 2º Grupo de empresas que serão obrigadas à transmissão das obrigações acessórias.

A cisão do 2º Grupo em dois ocorreu em ambas as normas citadas. Se antes nós tínhamos dentre as pessoas jurídicas contempladas neste grupo as empresas que faturaram menos de R$ 78 milhões em 2016, incluindo as empresas optantes do Simples Nacional, e todas as demais pessoas jurídicas, inclusive sem fins lucrativos (exceto órgãos, autarquias e fundações de direito público), a partir das alterações promovidas em outubro/2018 o 2º Grupo passa a contemplar apenas as entidades empresariais com faturamento inferior a R$ 78 milhões em 2016, com exceção dos optantes do Simples Nacional. As entidades sem fins lucrativos, assim com as empresas optantes pelo Simples, foram realocadas para o 3º Grupo. Por essa razão, as entidades públicas são mencionadas agora no 4º grupo.

Além dessa modificação, as normas mencionadas neste comentário também determinaram um novo adiamento do prazo de início da obrigatoriedade de transmissão do eSocial e da EFD-Reinfpara ambos os grupos.

Ao invés de iniciar a transmissão dos eventos periódicos (folha de pagamento, notas fiscais com retenção de INSS de pessoas jurídicas, dentre outros) a partir de novembro/2018, as entidades sem fins lucrativos, incluindo associações e fundações privadas, entidades do Sistema “S” e vários outros que constam do item 3. ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS do Anexo V da Instrução Normativa RFB nº 1.634, de 06 de maio de 2016, terão que cumprir estas obrigações apenas a partir de julho/2019.

Não podemos deixar de lembrar também que o início da obrigatoriedade da transmissão da Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais Previdenciários e de Outras Entidades e Fundos (DCTFWeb) se dará provavelmente a partir do 2º mês subsequente ao do início da transmissão dos eventos periódicos do eSocial e da EFD-Reinf. Esse foi o critério adotado quando da inclusão do § 1º-C no art. 47 da IN RFB 971/2009, mas que não foi alterado após a atualização do cronograma.

Portanto, mantido o mesmo critério, esta terceira obrigação acessória, que está diretamente relacionada às duas primeiras, torna-se exigível para as entidades sem fins lucrativos a partir da competência setembro/2019.

Caso você queira receber conteúdos exclusivos em primeira mão publicados no Foco Tributário, assine nossa lista.

Participe de nosso treinamento Gestão Tributária de Contratos e Convênios, baseado no livro mais completo do mercado sobre retenções e encargos tributários na fonte.

Para receber mais conteúdos sobre a temática tributária, solicite também a inclusão de seu telefone em nossa lista do Whats App (+55 71 9 9385-2662).

Curso Gestão Tributária de Contratos e Convênios

Participe do Curso Gestão Tributária, o evento mais completo do mercado acerca da incidência do INSS, IRRF, CSLL, PIS/Pasep, Cofins e ISS na fonte. É o único com carga horária de 24 horas-aula distribuídas ao longo de três dias consecutivos.

Publicações recentes

270-quando-reter-o-inss-dos-optantes-do-simples-nacional-na-construcao-civil

#270: Quando reter o INSS dos optantes do Simples Nacional na construção civil?

De acordo com o art. 142 da IN RFB 971/09, tanto os serviços como as obras de construção civil estão sujeitos à retenção previdenciária, contudo, será que…

269-como-tratar-as-receitas-que-tem-imunidade-do-iss-no-calculo-do-simples-nacional

#269: Como tratar as receitas que têm imunidade do ISS no cálculo do Simples Nacional?

A imunidade tributária, prevista no art. 150, VI, d, da Constituição Federal, concedida aos livros, jornais e periódicos, livra os respectivos bens da exigência…

268-retencao-de-ir-do-optante-do-simples-o-que-acontece-quando-a-empresa-sai-do-regime

#268: Retenção de IR do optante do Simples: o que acontece quando a empresa sai do regime?

O optante do Simples que emitiu uma nota fiscal em 2019 para um tomador que é órgão público sofre retenção de Imposto de Renda quando o pagamento…

267-um-aspecto-fundamental-para-determinar-a-incidencia-da-cprb

#267: Um aspecto fundamental para determinar a incidência da CPRB

A dúvida de hoje é do Raony e ele nos pergunta acerca de uma questão muito importante relacionada à aplicação (…)

Arquivos

Posts relacionados

Seu comentário é bem-vindo!

Adicione seu comentário ou deixe sua pergunta.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X